Greve dos caminhoneiros: manifestações chegam ao quarto dia

 

Rodovias parcialmente bloqueadas por caminhões estacionados, filas em postos de combustíveis, risco de desabastecimento de mercadorias em feiras, supermercados e farmácias, grande probabilidade de redução de frota do transporte público, estações de metrô e transbordo lotadas e manifestações por toda a cidade. Este foi o cenário enfrentado pelos moradores da capital baiana, nesta quinta-feira (24). O motivo da crise é a greve dos caminhoneiros que chega ao seu quarto dia.

A paralisação da categoria começou na segunda-feira (21) e foi proposta de forma espontânea em redes sociais e grupos de aplicativos de mensagens. Segundo a BBC Brasil, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) abraçou a ideia e, junto com vários sindicatos, começou a paralisação, que tem como principal reivindicação a diminuição dos tributos sobre o diesel, tabela de preços para o frete, isenção do pagamento de pedágio dos eixos que estiverem suspensos e a criação de um marco regulatório para os caminhoneiros. 

O movimento foi ganhando força e, aos poucos, caminhoneiros de frota foram aderindo à paralisação, elevando para mais de um milhão o número de caminhões parados pelas rodovias de todo o país, segundo a Folha de São Paulo. Além disso, a população também começou a apoiar à greve e estão doando água, frutas, verduras, pães, biscoitos, leite e café para os motoristas que estão parados nas vias da cidade.

Com a greve dos caminhoneiros, a Petrobras reduziu emergencialmente o preço do diesel em 10% e congelou o valor por 15 dias e a Câmara dos Deputados aprovou o projeto que reduz benefícios fiscais concedidos pelo governo a diversos setores da economia com mudanças que reduzem o preço do óleo diesel, mas presidente da Abcam afirmou que o movimento só vai parar quando o governo sancionar a lei que zera o PIS/Cofins sobre o óleo diesel.

Além das capitais e vias como as BA’s e BR’s, os caminhoneiros também fizeram bloqueios em pontos estratégicos, como a saída de refinarias da Petrobras e a entrada do porto de Santos, em SP, dificultando ainda mais o escoamento das mercadorias e produtos que dependem do transporte terrestre para chegar aos seus destinos.

Confira fotos: 

IMAGENS/BR-324/ DIANA LETÍCIA 

IMAGENS/ BR 324/ - BAIRRO DE VALÉRIA/ DIANA LETÍCIA 

IMAGENS/BR-324/DIANA LETÍCIA

 

IMAGENS/ESTAÇÃO PIRAJÁ/DIANA LETÍCIA 

IMAGENS/METRÔ DE SALVADOR/ DIANA LETÍCIA 

 

 

Diana Letícia, com informações da BBC Brasil. 

Outras notícias

ESPORTE

Bahia e Ceará fazem primeiro duelo por vaga na final do Nordestão

21 de Junho de 2018

ESPORTE

Thiago Silva será capitão da Seleção Brasileira contra a Costa Rica

21 de Junho de 2018

ECONOMIA

Petrobras anuncia redução de 1,1% no preço da gasolina nas refinarias

21 de Junho de 2018

MUNDO

Trump volta atrás e assina decreto para acabar com a separação de famílias de imigrantes ilegais

21 de Junho de 2018

Decreto só se aplica a novos casos

POLÍTICA

Lula e Moro ficarão frente a frente de novo em setembro

20 de Junho de 2018

Ver mais

Do amor à indecisão 09 de Março de 2018

MP abre inquérito para apurar ação de segurança contra criança em shopping 13 de Junho de 2018

Empresário que chamou Paulo Souto de ‘bom filho da puta’ vai pagar R$ 295 mil em danos morais 07 de Junho de 2018

Ex-brothers Gleici e Wagner marcam data de casamento na roça 07 de Junho de 2018

Alinne Rosa e filho de Saulo são flagrados juntos em Lençóis 02 de Junho de 2018