Greve dos caminhoneiros: manifestações chegam ao quarto dia

 

Rodovias parcialmente bloqueadas por caminhões estacionados, filas em postos de combustíveis, risco de desabastecimento de mercadorias em feiras, supermercados e farmácias, grande probabilidade de redução de frota do transporte público, estações de metrô e transbordo lotadas e manifestações por toda a cidade. Este foi o cenário enfrentado pelos moradores da capital baiana, nesta quinta-feira (24). O motivo da crise é a greve dos caminhoneiros que chega ao seu quarto dia.

A paralisação da categoria começou na segunda-feira (21) e foi proposta de forma espontânea em redes sociais e grupos de aplicativos de mensagens. Segundo a BBC Brasil, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) abraçou a ideia e, junto com vários sindicatos, começou a paralisação, que tem como principal reivindicação a diminuição dos tributos sobre o diesel, tabela de preços para o frete, isenção do pagamento de pedágio dos eixos que estiverem suspensos e a criação de um marco regulatório para os caminhoneiros. 

O movimento foi ganhando força e, aos poucos, caminhoneiros de frota foram aderindo à paralisação, elevando para mais de um milhão o número de caminhões parados pelas rodovias de todo o país, segundo a Folha de São Paulo. Além disso, a população também começou a apoiar à greve e estão doando água, frutas, verduras, pães, biscoitos, leite e café para os motoristas que estão parados nas vias da cidade.

Com a greve dos caminhoneiros, a Petrobras reduziu emergencialmente o preço do diesel em 10% e congelou o valor por 15 dias e a Câmara dos Deputados aprovou o projeto que reduz benefícios fiscais concedidos pelo governo a diversos setores da economia com mudanças que reduzem o preço do óleo diesel, mas presidente da Abcam afirmou que o movimento só vai parar quando o governo sancionar a lei que zera o PIS/Cofins sobre o óleo diesel.

Além das capitais e vias como as BA’s e BR’s, os caminhoneiros também fizeram bloqueios em pontos estratégicos, como a saída de refinarias da Petrobras e a entrada do porto de Santos, em SP, dificultando ainda mais o escoamento das mercadorias e produtos que dependem do transporte terrestre para chegar aos seus destinos.

Confira fotos: 

IMAGENS/BR-324/ DIANA LETÍCIA 

IMAGENS/ BR 324/ - BAIRRO DE VALÉRIA/ DIANA LETÍCIA 

IMAGENS/BR-324/DIANA LETÍCIA

 

IMAGENS/ESTAÇÃO PIRAJÁ/DIANA LETÍCIA 

IMAGENS/METRÔ DE SALVADOR/ DIANA LETÍCIA 

 

 

Diana Letícia, com informações da BBC Brasil. 

Outras notícias

POLÍTICA

TSE determina que Facebook e YouTube removam vídeos de Bolsonaro sobre suposto “kit gay”

16 de Outubro de 2018

ESPORTE

Vitória lança promoção de ingressos para jogo com o Corinthians

16 de Outubro de 2018

ESPORTE

Barcelona retira status de embaixador de Ronaldinho após apoio a Bolsonaro

16 de Outubro de 2018

ESPORTE

Bahia será o mandante no clássico contra o Vitória no Nordestão 2019

15 de Outubro de 2018

ESPORTE

Elenco do Bahia folga nesta segunda e se reapresenta na terça-feira

15 de Outubro de 2018

Ver mais

Do amor à indecisão 09 de Março de 2018

TJ-BA aumenta vale-alimentação de servidores, juízes e desembargadores para R$ 1,1 mil 02 de Outubro de 2018

Supremo dá aval à terceirização irrestrita 31 de Agosto de 2018

Simone chora em último show sem Simaria: “Melhor coisa a se fazer” 01 de Outubro de 2018

Angela Maria, rainha do rádio, morre aos 89 anos 30 de Setembro de 2018