Brasileira conquista o ouro e faz história no Mundial de Esgrima

Foto: Flavio Florido/ COB/ Divulgação

Pela primeira vez na história, o Brasil tem uma campeã mundial na esgrima. Nesta quinta-feira (18), em um dia perfeito, a italiana naturalizada brasileira Nathalie Moellhausen, de 33 anos, conquistou a inédita medalha de ouro no individual de espada feminino do Mundial que está sendo disputado em Budapeste, na Hungria. Após passar por quatro fases até a decisão, derrotou a chinesa Sheng Lin por 13 a 12, no Golden Score.

Em partida emocionante e muito tensa, a decisão do título mundial ficou apenas para a prorrogação. Após os três períodos, ambas se alternaram na liderança, mas o placar ficou no 12 a 12. Com pouco mais de 40 segundos restantes, Nathalie Moellhausen, que ocupa a 22.ª colocação do ranking, conseguiu o toque que garantiu o ouro contra a chinesa, atual número 13.

Muito emocionada após a vitória, a brasileira chorou bastante, abraçou o seu técnico e festejou ao lado de vários compatriotas, que invadiram o local de competição e até a jogaram para cima para comemorar o feito inédito da modalidade. Nathalie Moellhausen é nascida na Itália, filha de mãe brasileira com pai alemão. Tem dupla cidadania e, antes de competir pelo Brasil a partir de 2012, defendia a seleção italiana.

Para chegar à final, a brasileira percorreu um longo caminho. Na primeira etapa classificatória de grupo, as chamadas poules, realizada na última segunda-feira, fez seis duelos e venceu todos contra a russa Violetta Khrapina, a iraniana Paria Mahrokh, Hsieh Kaylin Sin Yan, de Hong Kong, a venezuelana Eliana Lugo, a argentina Tamara Chwojnik e a casaque Vladislava Andreyeva.

Classificada à fase final, entre as 64 melhores do mundo, passou na fase de classificação pela polonesa Renata Knapik-Miazga, por 15/12, e pela chinesa Mingye Zhu, por 15/10. Nas quartas de final, começou a fazer história, ao garantir a primeira medalha para o Brasil em um Mundial de Esgrima, com o triunfo sobre Lis Rottler, de Luxemburgo, por 11/10, no Golden Score, beneficiada pelo uso do VAR, que corretamente anulou um ponto dado à sua adversária.

Após passar pelas quartas de final, Nathalie Moellhausen pegou Man Wai Vivian Kong, de Hong Kong, terceira do ranking mundial, e venceu com autoridade por 15/11 para depois ser campeã mundial contra a chinesa Sheng Lin.

O próximo desafio da brasileira serão os Jogos Pan-Americanos de Lima. Na capital peruana, daqui duas semanas, ela vai defender as medalhas de bronze obtidas tanto no individual quanto por equipes para o Brasil, em 2015, durante a competição em Toronto, no Canadá. 

Outras notícias

NOTÍCIAS

Marcelle Moraes denuncia utilização de gato para churrasco com grupo de amigos em Camaçari

14 de Janeiro de 2021

NOTÍCIAS

Geraldo Júnior recomenda "mutirão da fé, em casa" na Lavagem do Bonfim

13 de Janeiro de 2021

NOTÍCIAS

Deputado federal baiano recorre à Bolsonaro para ajudar trabalhadores da Ford de Camaçari

13 de Janeiro de 2021

NOTÍCIAS

Gripários de Salvador registram aumento na procura de atendimentos nos primeiros dias do ano

12 de Janeiro de 2021

NOTÍCIAS

Multicentros de Salvador ultrapassam marca de 130 mil atendimentos

11 de Janeiro de 2021

Ver mais

Do amor à indecisão 09 de Março de 2018

Advogado de Lula pede que juiz reconsidere acesso a sistema da Odebrecht 05 de Setembro de 2019

STJ analisa liberdade de Temer na próxima terça-feira 09 de Maio de 2019

Aos 98 anos, morre sambista Riachão 30 de Março de 2020

Preta Gil recebe alta após diagnóstico de coronavírus: ‘Estou curada’ 27 de Março de 2020