Presidente do STJ nega 143 habeas corpus ‘padronizados’ a favor de Lula

FOTO: Reprodução

 

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Laurita Vaz, negou 143 habeas corpus “padronizados” apresentados a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), após o episódio no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). No último domingo, o presidente do TRF-4 cassou um habeas corpus concedido a Lula pelo desembargador Rogério Favreto. A decisão ocorreu depois de mais de 10 horas de impasse, marcadas por conflitos entre o juiz Sergio Moro, Favreto e o desembargador relator da Lava Jato no TRF-4, João Pedro Gebran Neto. “O Poder Judiciário não pode ser utilizado como balcão de reivindicações ou manifestações de natureza política ou ideológico-partidárias. Não é essa sua missão constitucional”, afirma a presidente da Suprema Corte sobre os pedidos de liberdade que chegaram padronizados ao STJ com o subtítulo ‘Ato Popular 9 de julho de 2018 – Em defesa das garantias constitucionais’. Na decisão, Laurita afirma que qualquer cidadão tem direito de pedir aos poderes públicos “defesa de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder”, contudo, “não é a consagrada ação” de habeas corpus a via para “manejar atos populares”. “Essa petição padronizada de habeas corpus foi entregue no protocolo do Superior Tribunal de Justiça, durante o apertado período de Plantão da Presidência, com outras 142, em meio físico, ocupando vários servidores e movimentando diversos órgãos do tribunal, sobrecarregando a rotina de trabalho, já suficientemente pesada”, assinala a presidente do STJ. Na decisão, Laurita ainda destaca que a determinação de cumprimento provisório da pena de Lula já foi discutida pelo STJ e pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ontem, a ministra deu uma resposta a confusão jurídica instaurada dentro do TRF-4 e decidiu que Favreto, que concedeu um pedido de liberdade a Lula, não é competente para julgar o caso do ex-presidente, e não poderia ter concedido um habeas corpus ao petista. No despacho, Laurita critica o imbróglio jurídico gerado pela atuação de Favreto durante o plantão, chamando a situação de “tumulto processual sem precedentes na história do direito brasileiro”.

Outras notícias

POLÍTICA

Haddad salta 6 pontos e Bolsonaro sobe para 28%, mostra pesquisa

21 de Setembro de 2018

SAÚDE

Saúde oferece assistência aos participantes da Maratona Salvador 2018

21 de Setembro de 2018

ESPORTE

Coreias entram em acordo por candidatura conjunta para Olimpíada de 2032

21 de Setembro de 2018

ENTRETENIMENTO

Produção do Salvador Fest divulga esquema especial de segurança para o evento

21 de Setembro de 2018

ESPORTE

Bahia vence e abre vantagem na Sul-Americana

20 de Setembro de 2018

Ver mais

Do amor à indecisão 09 de Março de 2018

Supremo dá aval à terceirização irrestrita 31 de Agosto de 2018

STJ impede Ciro de visitar Lula na prisão 24 de Agosto de 2018

Ivete Sangalo e Daniel Cady batizam filhas, Marina e Helena, em Salvador 17 de Setembro de 2018

Simone anuncia pausa em shows após Simaria passar mal: 'Fazendo novos exames por conta da doença' 16 de Setembro de 2018