Exportações baianas têm queda de 32% no mês de agosto; venda de carros de passeio caem 80%

As exportações baianas caíram 32,2% em agosto, comparadas ao mesmo mês do ano passado, e atingiu a marca de US$ 588,9 milhões. Segundo a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), é o terceiro mês consecutivo de queda das vendas externas.

De acordo com a SEI, a queda ocorreu por conta de conflitos comerciais, que desequilibraram a confiança, os preços das commodities e a atividade econômica mundial, onde a demanda externa representa um grande estímulo ao crescimento econômico do estado e do país.

Em agosto, as vendas baianas ao exterior tiveram queda de 22% do volume embarcado motivadas pela demanda externa menor, e 13,2% nos preços médios dos produtos exportados.

Também houve queda de 80% na venda de automóveis de passeio, principalmente para a Argentina, de 43,5% nas vendas de petroquímicos e de 73,8% nas de derivados de petróleo, todos manufaturados e cujo consumo é mais afetado em momentos de incerteza.

Ainda conforme a superintendência, a demanda por ração animal e as compras de soja recuaram 29,6% no mês por causa da peste suína nos rebanhos da China. Também houve queda nas exportações de celulose em 51,5%, por conta do excesso nos estoques mundiais do setor, que chegaram a níveis históricos.


Importações

As importações tiveram uma redução de 39,2%, comparados aos valores registrados em agosto de 2018 de US$ 552,4 milhões. A queda ocorreu por causa da perda de força da atividade econômica interna e o atraso dos investimentos pelas empresas.

Nos oito primeiros meses do ano, as vendas externas do estado atingiram US$ 5,1 bilhões e estão 6,8% inferiores ao mesmo período de 2018. Com isso, a corrente de comércio teve queda de 6,2% no ano, enquanto que a balança comercial, embora superavitária em US$ 325,2 milhões, está 20,6% inferior a igual período do ano passado.

A desaceleração econômica se reflete também no volume de importações feitas pela Bahia. No mês, as compras de bens de capital tiveram queda de -26,3%, combustíveis e lubrificantes de -54,3%, bens de consumo de -48% e bens intermediários de -36%.

Segundo a superintendência, no ano, as importações somam US$ 4,73 bilhões e estão bem mais fracas que o esperado, com redução de 5,6% comparado a igual período do ano passado.
 

*Informações do portal G1

Outras notícias

NOTÍCIAS

UPA Pirajá/Santo Inácio será a primeira da Bahia a receber ‘Protocolo de Sepse’ do Ministério da Saúde

20 de Setembro de 2019

CIDADE

Prefeitura oferta cartão do SUS com nome social em Parada Gay

19 de Setembro de 2019

POLÍTICA

Sessão Solene marca centenário da Assembleia de Deus na ALBA nesta quinta-feira (20)

19 de Setembro de 2019

POLÍTICA

Capitão Alden faz plágio em projeto da Alba

18 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS

Secretários de Saúde das capitais do Nordeste tentam viabilizar a extensão do programa “Médicos pelo Brasil” para os mun

18 de Setembro de 2019

Ver mais

Do amor à indecisão 09 de Março de 2018

Advogado de Lula pede que juiz reconsidere acesso a sistema da Odebrecht 05 de Setembro de 2019

STJ analisa liberdade de Temer na próxima terça-feira 09 de Maio de 2019

Grazi Massafera é vista aos beijos com Caio Castro em festa 04 de Setembro de 2019

Nego do Borel é condenado a pagar R$ 20 mil a motorista de aplicativo 22 de Agosto de 2019