Saúde prepara protocolo unificado de atendimento para doença de pele misteriosa

FOTO: REPRODUÇÃO

A Vigilância Epidemiológica do Município, pertencente à Secretaria Municipal de Saúde (SMS), segue estudando os 100 casos de pessoas que apresentaram sintomas da “doença de pele misteriosa”. A patologia, que provoca lesões avermelhadas parecidas com picadas de insetos e coceira, vitimou moradores de um condomínio em Patamares. Com intuito de informar sobre as ações, as Vigilâncias do município e estado realizaram uma coletiva, nesta quarta-feira (24), no Complexo Municipal de Vigilância à Saúde, na Avenida Vasco da Gama. Uma nota técnica contendo o protocolo para investigação e atendimento médico dos pacientes está sendo preparada pelas Vigilâncias e deve ser divulgada nos próximos dias.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica do Município, Cristiane Cardoso, a nota técnica com o protocolo visa uniformizar as informações e também os procedimentos de atendimento médico. “Precisamos responder o que é a doença, organizar o fluxo desse paciente e, a partir daí, direcionar a conduta médica”, diz ela. O protocolo prevê a distribuição de um questionário que será respondido de forma minuciosa pelas pessoas que apresentarem os sintomas. “Vamos nos debruçar sobre essas respostas para tentar fechar o diagnóstico, a partir dessas informações”, explica.

Cardoso diz que a principal hipótese para explicação da dermatite é a picada de algum inseto de difícil visualização. “Todos relataram sensação de picada, lesão na pele e coceira intensa”, afirma. Ainda segundo a especialista, até agora é possível afirmar que o surto atingiu apenas a região de Patamares, já que os demais casos de coceira espalhados pela capital e Região Metropolitana foram pontuais. “Várias outras doenças apresentam vermelhidão e coceira na pele. Num momento como esse, é fácil pensar que toda coceira seja sinônimo do surto. Temos que estudar caso a caso”, esclarece.

Por meio das investigações, sabe-se apenas que a "doença misteriosa" é uma patologia de pele autoimune, que dura cinco ou seis dias, sem presença de febre, dores no corpo e conjuntivites. A coordenadora do município afirma que equipes técnicas seguem fazendo visitas ao condomínio. A orientação geral para os moradores é que trajem roupas de proteção ao usarem as áreas externas aos domicílios, façam uso de repelentes e prestem atenção ao meio ambiente. “Nossa matéria prima é a informação, o dado”, reforçou Cardoso.  

Histórico - Os casos começaram a aparecer no início de outubro, em pessoas com idades entre 4 e 64 anos. Até o momento, ainda não se sabe o que causa a enfermidade e não foram documentadas mortes nem evoluções para quadros mais graves. Desde quando surgiu, a doença começou a ser investigada pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) da SMS, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e a Fundação Oswaldo Cruz na Bahia. A equipe é composta por infectologistas, epidemiologistas, dermatologistas, veterinários e biólogos.

Outras notícias

SAÚDE

MPF pede que escolas cobrem carteira de vacinação de alunos

15 de Novembro de 2018

FAMOSOS

Ivete fala pela 1ª vez sobre ‘silêncio’ nas eleições: 'Política fazemos todos os dias'

15 de Novembro de 2018

ESPORTE

Com treino regenerativo, Bahia se reapresenta de olho no Atlético-MG

15 de Novembro de 2018

NOTÍCIAS

Em interrogatório, Lula diz que não pagou por reformas porque não era dono do sítio em Atibaia

14 de Novembro de 2018

NOTÍCIAS

Com confirmação do apoio do PDT, Nelson Leal ganha força na corrida pela presidência da ALBA

14 de Novembro de 2018

Ver mais

Do amor à indecisão 09 de Março de 2018

Fachin envia pedido de liberdade de Lula para 2ª turma 06 de Novembro de 2018

Justiça suspende concurso da Assembleia Legislativa da Bahia 01 de Novembro de 2018

Ivete fala pela 1ª vez sobre ‘silêncio’ nas eleições: 'Política fazemos todos os dias' 15 de Novembro de 2018

Erika Januza é vítima de ataque racista: ‘Macaca e fedida’ 30 de Outubro de 2018