Benefícios do INSS acima do salário mínimo terão reajuste de 3,43%

Os segurados da Previdência que recebem acima do salário mínimo terão seus benefícios reajustados em 3,43%, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

O índice foi oficializado por meio de portaria do Ministério da Economia, publicada hoje (16), no Diário Oficial da União (DOU). O reajuste é retroativo a 1º de janeiro de 2019.

O teto dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passa a ser de R$ 5.839,45 (antes era de R$ 5.645,80). As faixas de contribuição ao INSS (Instituto do Seguro Social) dos trabalhadores empregados, domésticos e trabalhadores avulsos também foram atualizadas.

O INSS informou que as alíquotas são de 8% para aqueles que ganham até R$ 1.751,81; de 9% para quem ganha entre R$ 1.751,82 e R$ 2.919,72; e de 11% para os que ganham entre R$ 2.919,73 e R$ 5.839,45. Essas alíquotas, relativas aos salários de janeiro, deverão ser recolhidas apenas em fevereiro, uma vez que, em janeiro, os segurados pagam a contribuição referente ao mês anterior.

Valores definidos

O piso previdenciário, valor mínimo dos benefícios do INSS (aposentadoria, auxílio-doença, pensão por morte) e das aposentadorias dos aeronautas, será de R$ 998,00. O piso é igual ao novo salário mínimo nacional, fixado em R$ 998 por mês em 2019.

Para aqueles que recebem a pensão especial devida às vítimas da síndrome da talidomida, o valor sobe para R$ 1.125,17, a partir de 1º de janeiro de 2019.

No auxílio-reclusão, benefício pago a dependentes de segurados presos em regime fechado ou semiaberto, o salário de contribuição terá como limite R$ 1.364,43.

O Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social - destinado a idosos e a pessoas com deficiência em situação de extrema pobreza -, a renda mensal vitalícia e as pensões especiais para dependentes das vítimas de hemodiálise da cidade de Caruaru (PE) também sobem para R$ 998,00. Já o benefício pago a seringueiros e a seus dependentes, com base na Lei nº 7.986/89, passa a valer R$ 1.996,00.

A cota do salário-família passa a ser de R$ 46,54 para o segurado com remuneração mensal não superior a R$ 907,77, e de R$ 32,80 para quem tem remuneração mensal superior a R$ 907,77 e inferior ou igual a R$ 1.364,43.

Fator de reajuste dos benefícios concedidos de acordo com as respectivas datas de início, aplicável a partir de janeiro de 2019.

Fator de reajuste dos benefícios concedidos de acordo com as respectivas datas de início, aplicável a partir de janeiro de 2019

DATA DE INÍCIO DO BENEFÍCIO

REAJUSTE (%)

Até janeiro/2018

3,43

em fevereiro/2018

3,20

em março/2018

3,01

em abril/2018

2,94

em maio/2018

2,72

em junho/2018

2,28

em julho/2018

0,84

em agosto/2018

0,59

em setembro/2018

0,59

em outubro/2018

0,29

em novembro/2018

0,00

em dezembro/2018

0,14

Fonte: Secretaria de Previdência

Outras notícias

ESPORTE

“Vagabundos”, critica Paulo Carneiro após Embasa cortar fornecimento de água do Vitória

21 de Agosto de 2019

Carneiro afirma que dívida com a Embasa é anterior à sua gestão

NOTÍCIAS

“É fruto do desmonte deliberado de um legado de governança ambiental no Brasil”, afirmou Marcelle Moraes

21 de Agosto de 2019

CIDADE

Parada Gay acontecerá no Dique do Tororó, diz produtor

21 de Agosto de 2019

O evento contará com microtrios e pranchão

POLÍTICA

Governo privatiza EBC, Casa da Moeda e Eletrobras

21 de Agosto de 2019

Lista das 17 estatais foi divulgada hoje

NOTÍCIAS

Salvador sedia seminário de cura e perdão através do Ho’oponopono

21 de Agosto de 2019

Evento acontece no Novotel, no bairro do Rio Vermelho neste final de semana

Ver mais

Do amor à indecisão 09 de Março de 2018

STJ analisa liberdade de Temer na próxima terça-feira 09 de Maio de 2019

Justiça suspende leilão da Avianca marcado para amanhã 06 de Maio de 2019

Filho de Claudia Leitte nascerá nos Estados Unidos; cantora explica o motivo 19 de Agosto de 2019

Fábio Assunção entrega sexo do filho de Letícia Colin 18 de Julho de 2019