Meirelles, Marina e Amoêdo defendem decisão rápida sobre registro de Lula

FOTO: REPRODUÇÃO

Os candidatos à Presidência Henrique Meirelles (MDB), Marina Silva (Rede) e João Amoêdo (Novo) defenderam, nesta quinta-feira, 16, que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) seja rápido ao decidir sobre a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado em segunda instância e preso no âmbito da Operação Lava Jato. Os apelos por agilidade ocorrem um dia após a Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, pedir a rejeição da candidatura de Lula.

A candidatura do ex-presidente foi oficializada pelo PT, ao mesmo tempo em que o partido planeja sua substituição na chapa.

O Partido Novo entrou com um pedido de impugnação da candidatura de Lula no TSE, se juntando a outras seis solicitações já protocoladas. “Imagino e torço para que essa decisão seja rápida e a gente possa caminhar rapidamente para ter muito claro qual é o quadro eleitoral definitivo”, disse Amoêdo, após participar de um evento com outros seis presidenciáveis na capital paulista. A decisão do partido em entrar com o pedido, disse o candidato do Novo, serve para “proteger o cidadão brasileiro e as leis”.

Meirelles disse que a definição da Justiça Eleitoral precisa ocorrer “o mais rápido possível” para que a população saiba quem é efetivamente candidato. “Temos que definir, quanto mais rápido, melhor”, reforçou o emedebista, comentando a situação do PT na Justiça Eleitoral. No evento, ele ressaltou mais uma vez seu trabalho nos governos Lula e Michel Temer, afirmando que é importante “trabalhar para o País” sem dar importância a gostar de um ou de outro.

Marina afirmou ser “bom” que a população saiba quem são os candidatos, também cobrando do TSE uma definição sobre Lula. “Se não, nós vamos ter uma eleição em que uma parte estará se expondo e outra parte não estará, ainda que se saiba que não poderá prevalecer a ideia que se passará por cima da lei”, disse Marina, defendendo a tese de que condenados em segunda instância não podem ser candidatos. Ex-ministra de Lula ex-filiada ao PT, Marina afirmou ainda que é “muito cedo” para avaliar a capacidade de transferência de votos do ex-presidente para Fernando Haddad, candidato a vice e possível substituto do petista na eleição. “Ainda é muito cedo e é por isso que é importante ter a definição de quem são os candidatos. A sociedade precisa votar exatamente naquele que está se dispondo a governar.”

Outras notícias

POLÍTICA

Haddad salta 6 pontos e Bolsonaro sobe para 28%, mostra pesquisa

21 de Setembro de 2018

SAÚDE

Saúde oferece assistência aos participantes da Maratona Salvador 2018

21 de Setembro de 2018

ESPORTE

Coreias entram em acordo por candidatura conjunta para Olimpíada de 2032

21 de Setembro de 2018

ENTRETENIMENTO

Produção do Salvador Fest divulga esquema especial de segurança para o evento

21 de Setembro de 2018

ESPORTE

Bahia vence e abre vantagem na Sul-Americana

20 de Setembro de 2018

Ver mais

Do amor à indecisão 09 de Março de 2018

Supremo dá aval à terceirização irrestrita 31 de Agosto de 2018

STJ impede Ciro de visitar Lula na prisão 24 de Agosto de 2018

Ivete Sangalo e Daniel Cady batizam filhas, Marina e Helena, em Salvador 17 de Setembro de 2018

Simone anuncia pausa em shows após Simaria passar mal: 'Fazendo novos exames por conta da doença' 16 de Setembro de 2018