População deve estar atenta ao risco de trombose em longas viagens

27 2017, 09h24

FOTO: REPRODUÇÃO

As férias estão próximas e o momento é propício para viagens. Se a sua escolha envolver qualquer destino distante fique atento para o risco de Trombose Venosa Profunda (TVP). O principal fator causador da doença é o longo período que o passageiro permanece sentado. E é então que a formação de coágulos de sangue acontece.

No último dia (17), a atriz Suzana Viera (74) ficou internada durante cinco dias após sentir dores nas pernas durante um voo dos Estados Unidos para o Brasil. A artista foi diagnosticada com trombos na perna.

Segundo o angiologista, Thiago Lemos, a incidência mais comum da TVP, cerca de 90% dos casos, é nos membros inferiores. "Em aproximadamente 90% dos casos, a trombose venosa profunda ocorre nas pernas, devido à alguns fatores como regime de baixo fluxo sanguíneo, maior quantidade de sangue contido no sistema venoso dos membros inferiores e influência da gravidade", afirma o médico.

Ainda de acordo com o especialista outros fatores como hereditariedade favorecem o surgimento dos trombos. “O fumo, o sedentarismo e a obesidade, além dos problemas relacionados, como as alterações do colesterol e triglicérides, podem aumentar a viscosidade do sangue tornando-o mais "grosso" e vulnerável a formação dos trombos”, declarou.

Tratamento

A rede municipal de saúde oferece atendimentos com médicos angiologistas, esses profissionais vão detectar o quadro clínico. A partir do diagnóstico o cidadão será orientado a realizar o exame Doppler Venoso de membro inferior para detecção precoce da trombose. Em casos emergenciais, o anticoagulante é administrado para evitar a progressão do trombo e a embolia pulmonar. 

Algumas atitudes como levantar, caminhar e se movimentar já diminuem as chances de potencialização para a coagulação do sangue. “Nos casos que já há um histórico de trombose, é altamente recomendável consultar um médico antes de viajar, principalmente a longas distâncias. O cidadão com potencial de trombo pode estar indo ao banheiro do transporte que esteja se locomovendo, por exemplo. O uso da meia elástica também é um fator mecânico que auxilia no retorno venoso e evita o acúmulo de sangue nas veias”, recomenda Thiago.

Nos casos mais graves da doença, o trombo se desloca, chega ao pulmão, causando embolia, que pode levar à morte. “O trombo sai de veias importantes na coxa e na região pélvica e vai para onde os vasos diminuem de tamanho. Sai da perna, passa pelo coração e chega ao pulmão, onde a trama arterial diminui e faz a embolia”, explica.

Comentar

* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.