Dr. Bumbum atuou temporariamente como médico no Palácio do Planalto

FOTO: REPRODUÇÃO

O médico Denis Furtado, mais conhecido como Dr. Bumbum, trabalhou na Presidência da República por 16 dias. Como médico do Exército, ele foi cedido pelo Hospital das Forças Armadas para a clínica geral do Palácio do Planalto, no período de 18 de setembro a 3 de outubro de 2008.

A informação foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo, mas o Planalto afirma que o médico não chegou a ter um vínculo formal com o Executivo Federal. No período em que esteve "emprestado" à Presidência, ele trabalhou na Coordenação de Saúde (Cosau) do órgão.

Segundo o G1 RJ, o coronel Henry Wender, da Secretaria-Geral da Presidência, disse que o médico não atendeu o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nem os familiares dele. Além disso, o Dr. Bumbum não teria participado de eventos oficiais, atendido autoridades ou atuado de forma indevida durante os 15 anos em que foi médico da Força Armada.

 

Caso Dr. Bumbum

O médico virou caso de repercussão nacional depois que a bancária Lilian Quezia Calixto morreu. O óbito, no dia 15 de julho, foi em consequência de um procedimento estético feito um dia antes, no apartamento do Dr. Bumbum, no Rio de Janeiro. Furtado e a mãe, Maria de Fátima Barros, foram indiciados pelo crime cometido e presos na última quinta-feira (19).

Apesar da fama nas redes sociais, quando o caso veio à tona se descobriu que o médico nem sequer poderia atuar no Estado, uma vez que ele só era credenciado pelos Conselhos Regionais de Medicina de Goiás e do Distrito Federal - este último já cassado. O mesmo acontece com Maria de Fátima, cujo registro para exercer a profissão havia sido cassado em 2015.

O Dr. Bumbum ainda tem uma ficha criminal extensa por um caso de homicídio, em 1997; porte ilegal de arma, em 2003; crime contra a ordem pública, também em 2013; resistência à prisão, em 2006 e 2007; exercício arbitrário da própria razão, que é quando a pessoa ultrapassa o limite da legítima defesa, em 2007; e violação de domicílio, em 2007. Além disso, ele é réu em mais de 10 processos no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Outras notícias

NOTÍCIAS

Deputados baianos intensificam luta pela assistência às pessoas que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas

10 de Junho de 2021

NOTÍCIAS

Bases do SAMU são vistoriadas em mais uma edição do “Manda SMS pra mim”

10 de Junho de 2021

NOTÍCIAS

Prefeitura de Cardeal da Silva quita dívida antiga de policlínica ao Estado

09 de Junho de 2021

Débito ultrapassava R$ 80 mil e impedia recebimento de novos recursos estaduais

NOTÍCIAS

Curso inédito de Autocura e Libertação elaborado por Olyvia Libório já está disponível para o público

01 de Junho de 2021

NOTÍCIAS

Salvador ampliará acessibilidade das pessoas surdas aos serviços da Prefeitura

31 de Maio de 2021

Ver mais

Do amor à indecisão 09 de Março de 2018

Advogado de Lula pede que juiz reconsidere acesso a sistema da Odebrecht 05 de Setembro de 2019

STJ analisa liberdade de Temer na próxima terça-feira 09 de Maio de 2019

Em meio à pandemia, Ivete Sangalo planeja festão de Réveillon 10 de Maio de 2021

Latino presta depoimento após acusações de intolerância religiosa 07 de Maio de 2021